Field Of Dreams – Campo Dos Sonhos

Field of Dreams

Eu não tenho nenhuma pretensão de ser crítico de cinema, aliás, nem tenho condições para tal.

Enquanto vou navegando pela rede, acabo me deparando sempre com blogs e sites de pessoas ou empresas que fazem críticas de filmes. Tem de tudo quanto é jeito, os engraçadinhos, os mau-humorados, os especialistas nisso ou naquilo. Existem blogs especializados em cultura pop, seja lá o que isso signifique que se propõem a formar opinião, isso mesmo, eles escrevem o que você deve pensar sobre as coisas, incluindo filmes. Não tenho nada contra esses blogs, cada um faz da vida o que bem entende, e se é feliz, beleza. Mas se eu tivesse algum objetivo ligado à originalidade com o meu blog, ele não seria escrever sobre filmes.

Dito isto, sempre que eu escrevo aqui sobre um filme é para que registre o meu ponto de vista, e nada mais, e muitas vezes o registro é para mim mesmo.

Sábado à noite resolvi olhar de novo o “Campo dos Sonhos” (“Field of Dreams”, título original em inglês). Lançado em 1989, dirigido e adaptado pelo Phil Alden Robinson, da obra do William Patrick Kinsella.

Tem um elenco legal, começando pelo James Earl “Darth Vader” Jones, passando pelo Burt Lancaster (último filme dele para o cinema), Ray Liotta e porque não dizer, Kevin Costner nos bons tempos.

Esse filme conta uma história fantástica, mistura um pouco fatos reais, o livro do W.P. Kinsella e a imaginação do diretor. Ele não precisa de trama esmeradamente concisa, amarrada com furor. Simplesmente vai navegando por vontade própria.

É a história de um cara normal, Ray Kinsella (Costner). Ele perdeu a mãe logo cedo e foi criado pelo pai, um adorador de baseball e que jogou baseball na juventude e sonhou ser jogador profissional. O tempo passa e o pai do cara faz o que dá para criar o filho, trabalhando sempre em empregos braçais. Como ele não é muito talentoso para contar histórias infantis para Ray dormir, ele passa a contar histórias de seus ídolos do baseball, incluindo principalmente Shoeless Joe, considerado o maior jogador de baseball dos Estados Unidos, e que foi banido para sempre do esporte junto com outros sete jogadores do Chicago White Sox na temporada de 1919 por suspeita de entregarem jogos de propósito.

Ray cresce, se desentende com o pai e vai embora de casa com 17 anos, e segue a vida, cursa faculdade, conhece sua futura esposa, casa e tem uma filha. Ray nunca mais procura seu pai, até que ele adoece e morre, Ray nunca se perdoa por ter brigado com o pai. Já casado, decide ser fazendeiro no Yowa. Durante sua vida na fazenda, começa a ouvir vozes, dizendo “se construir, ele virá” (“If you build it, he will come”). Ele não sabe explicar, mas acaba se convencendo de que precisa construir um campo de baseball no meio da sua plantação de milho. Isso traz prejuízos financeiros severos para Ray e sua família, que começa a passar dificuldades com credores e hipoteca. Mas uma vez o campo pronto, aparece do nada Shoeless Joe para bater uma bola. Detalhe é que ele havia morrido velho vinte anos antes, e aparece no auge da forma e de uniforme dos White Sox. SJ pergunta se pode trazer seus velhos amigos, e não demora muito os jogadores banidos em 1919 aparecem todos. Parece que Ray está destinado a realizar sonhos, sem muita explicação ele procura um escritor recluso chamado Terence Mann (James E Jones) em outra cidade e ambos ouvem as vozes e enxergam coisas e então partem para uma cidade distante à procura de um médico que se chama Archibald Graham. Eles descobrem que Graham está morto e ficam desiludidos. Vão passar a noite em um hotel antes de voltar para casa e Ray decide dar uma volta antes de dormir, ele vai caminhando e de repente descobre que está em 1970 e vê o Dr Graham caminhando pela rua. Rapidamente ele intercepta o Doutor, e ambos começam a conversar até o consultório dele. Ele comenta que foi jogador das divisões menores na juventude, mas optou por largar tudo e virar médico, porém ficou o sonho de jogar ao menos uma partida com as feras da época. Ray se despede dele e volta para o hotel, no outro dia ele e Terence voltarão para Yowa. No caminho de volta eles dão carona para um rapazinho, que está a procura de um lugar onde pode arrumar emprego e jogar baseball a noite. Quando eles perguntam seu nome descobrem que ele é…. o Doutor Graham, em sua juventude. Chegando em Yowa ele vai direto jogar com os fantasmas dos demais jogadores, que trouxeram outros pois precisavam de mais gente pra poder formar dois times. O cunhado chato de Ray fica incomodando-o com detalhes financeiros, ele se exaspera, bate sem querer na filha de Ray, que cai no chão e se engasga, ficando sem respirar e correndo risco de morte. Então o Jovem Archie Graham passa para o lado de fora do campo e volta a ser o velho Dr Graham, que salva a menina e não mais pode voltar à juventude. Ray se sente culpado, mas o velho doutor diz que seu sonho se realizou e parte para o além, entrando no milharal de Ray, que abriga todos os outros fantasmas quando não estão jogando. Começa escurecer e Shoeless comenta que os jogadores voltarão no dia seguinte, pois jogaram bastante por hora. Então todos se retiram e fica apenas um jogador que também está se arrumando para ir embora quando Ray começa a juntar as peças do quebra cabeças e acaba descobrindo que esse jogador na verdade é….seu velho pai, no auge da juventude. Ray apresenta sua família meio sem jeito e os dois começam a conversar até que o pai de Ray diz que irá embora também. Ele se afasta quando Ray meio sem jeito pergunta “Ei pai, quer jogar um pouco”. Ele responde: “Eu adoraria”. Ficam trocando bolas no campo e então a esposa de Ray antes de entrar em casa resolve acender as luzes do campo, numa cena como poucas que eu vi. Logo a câmera se afasta dos dois e vemos uma estrada abarrotada de faróis se dirigindo ao campo, que na verdade são as pessoas que vêm procurar também a realização de seus sonhos e vão salvar financeiramente a fazenda.

O bom mesmo é ver o filme, pois é sem par no cinema. Na realidade ele é mais que uma história comovente, ele é uma celebração a todos os nossos sonhos. Posso dizer que é um grande prazer ter o “Campo dos Sonhos” em minha coleção. Infelizmente não temos as mesmas chances de reparar erros na vida real, mas por duas horas mais ou menos, acreditamos piamente que é possível.

Link para os dados do filme:

http://www.imdb.com/title/tt0097351/

Anúncios