Os 5 melhores vocalistas do rock

Contrariando o que eu coloquei em um post dias atrás e para exercitar um pouco minha técnica de argumento, resolvi parar e pensar nos meus vocalistas preferidos e porquê eles são os meus preferidos. Então…vamos lá!

Se você espera encontrar aqui Bruce Dickinson, Robert Plant, John Lennon ou o Marcelo Camelo, sugiro nem continuar,  afinal não sou crítico musical, nem muito menos tenho obrigação de curtir o que a massa curte.

O que eu levo em consideração para julgar os cinco melhores? Primeiramente eles tem que possuir algo a me passar, alguma mensagem, ou a sua atitude em relação as coisas, ou seja, eles tem que ter algo em comum comigo, procurar algo, respostas ao longo de suas vidas. Ou então apertaram o botão do foda-se em algum momento.

5º lugar: Bono Vox

Bono Vox

Não é errado pensar que uma grande banda tem que ter, obrigatoriamente, um grande frontman. Banda nenhuma que se preza dá pouco valor às apresentações ao vivo, e quando ela começa a ter como rotina shows gigantescos e seu cast é de apenas quatro músicos, torna-se indispensável a presença do “Pastor”, o cara que vai comandar a massa por algumas horas. E Bono antes de mais nada, é “O” frontman. Ele conduz os shows do U2 como poucos no mundo musical. Se você puder ir em um show do U2, vai esquecer suas contas, sua família problemática e aquele bando de idiotas no serviço. Sua alma é do Bono, por duas horas, você vai agradecer por isso a vida inteira e ainda contar pros seus netos.De quebra, ele não desistiu da humanidade, apesar de ser bem compreensível se quisesse. Meu som preferido é “Bad”

4 º lugar: Joey Ramone

Joey Ramone

Muitos vocalistas, a grande maioria até, pode-se dizer que tem a voz inconfundível, afinal também é pela voz de seu cantor que se reconhece uma banda. Mas de todos acho que o Joey Ramone é o maior exemplo disto. Ele certamente não era um cara com um grande dom, a técnica passava longe ali (e de todos nos Ramones). Mas ele era um cara performático à moda dele. Imagino que, assim como eu em minha distante juventude, em muitas madrugadas chuvosas longe de casa junto de um monte de malucos bêbados em lugares barulhentos, sujos e violentos, deve ter se perguntado: “Mas que porra eu estou fazendo aqui? Que hora para acabar a bebida!”. Esse cara influenciou muita gente, e põe muita gente nisso, pois transmitia energia em suas músicas, muita energia. Música é antes de mais nada, energia sonora. O som que eu mais gosto (e  excepcionalmente neste caso outros cinqüenta milhões de pessoas) é “Blitzkrieg Bop”.

3º lugar: Joe Elliott

Joe Eliott

Se tem um cara que sabe colocar a voz em uma musica de um jeito canastrão e legal, esse é o Elliot. Tem uma ótima noção de arranjo e junto com os riffs bem bolados do Def Leppard fez músicas memoráveis. Dentro do NWOBHM, para mim, é ele e mais dez. O cara passa uma imagem de quem sempre está disposto a investir numa mulher, mesmo que vá dar em nada e ele se queime. Ele às vezes parece um Poser “do bem”, se é que essa merda existe. Minha música preferida é “Have You Ever Needed Someone So Bad”.

2º lugar: Michael Hutchence

Michael Hutchence

Esse cara era muito versátil, tinha uma dinâmica muito acentuada e sua voz era potente. Conseguia dar a energia de uma bomba em um som, e um ar blasé em outro, dentro do mesmo show, ele era vários ao mesmo tempo e o INXS acho que nada seria se ele não tivesse pego a estrada junto. Era um cara intenso e cool mesmo, e ouvindo ele cantar dava pra curtir um monte. Esse era outro cara muito mulherengo e acho que a vida dele era centrada em mulheres, ele parece que precisava cem por cento do tempo estar vivendo algo intenso com uma mulher. E isso deve ser muito bom. Muito ruim ele ter se matado, e contam, foi por causa de uma mulher. Uma pena, pois poderíamos estar ainda hoje curtindo músicas novas dele. A minha preferida do INXS é “Tiny Daggers”.

1º lugar: Richard Butler

Richard Butler

Bom esse cara pra mim dispensa grandes comentários, por vezes acho que o The Psycodelic Furs não era uma banda e sim uma reunião de sociopatas. Acho que se o Joker da HQ “The Killing Joke” fosse o vocalista de uma banda, ele seria o Butler com sua voz engordurada, sua empáfia, seu ar de foda-se todo mundo com o dedo médio em riste. As músicas do TPF são uma névoa de loucura e um convite a pensar que nada mais tem solução, elas são lúcidas e sombrias, afinal não dá pra cantar o desespero e a desistência da espécie em ritmo de Axé. Minhas músicas preferidas são “All That Money Wants”, “All Of The Law”, e “Shine”.