Mais do mesmo

Cheguei um pouco mais tarde em casa hoje, passava pouco da meia-noite, mas nada que não aconteça algumas vezes durante o mês. Precisava terminar um trabalho para o meu chefe e ver se as crianças estavam quentinhas na cama, não necessariamente nessa ordem. Bom, elas estavam ok, então voltei para a sala, liguei a tv e o note. Liguei a tv para me distrair enquanto filtrava uma tabela. Sorteei o Universal Channel e estava começando um filme. 50 First Dates, de 2004, com o Adam Sandler e a Drew Barrymore. De novo vou citar aqui no Blog um filme que não é exatamente algo para se colecionar, não conseguiria pelo menos colocar ele ao lado dos meus faroestes dirigidos pelo Sergio Leone ou pelos meus contos poéticos-macabros feitos pelo Tim Burton. Vi 50 First Dates algumas vezes, o que me chama a atenção é que sempre que vejo um filme eu dou algum jeito de entrar dentro dele. No caso desse filme eu fico pensando se não era melhor perder a memória diariamente a partir de certo ponto.

Acho que a frustração nunca cresceria ao ponto que está hoje em dia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s