Ir pra casa também causa mal-entendidos!

Estava eu sexta feira em um ônibus, indo em direção à minha casa. Ônibus novo, bancos com estofamento azul, e detalhes amarelos naquelas barras onde o pessoal que viaja em pé se segura.

Em função do horário não ser mais de pico, havia muitos assentos livres. A minha parada se aproximou, era a próxima e eu então levantei-me, acionei a campainha e dirigi-me à porta de saída.

Levanta-se então uma mulher, ares de um pouco apressada, sapatos combinavam com a bolsa, penteado bonito, perfume agradável. Dirigiu-se também à porta de saída e me perguntou, com uma certa autoridade de patrulha das boas maneiras:

“Se o senhor não vai descer aqui, pode me dar licença?”

Ornitorrinco

Não sei se a minha sexta feira tinha sido boa ou ruim, se tinha sido cansativa ou se simplesmente veio à minha cabeça o que eu deveria responder, mas de qualquer maneira disse o seguinte:

“Minha senhora. Na última noite, em meio aos meus sonhos, eis que surge um ornitorrinco. Isso mesmo, um ornitorrinco, e não era um qualquer, era um da espécie da Nova Caledônia do Norte. Ele além de raro, possuía o dom da fala, a senhora sabe como é, não temos controle de nossos sonhos, ele simplesmente falava. Em um tom de arauto do futuro o animalzinho me contou: “Trabalharás amanhã, sexta feira. Mais ou menos às 19 horas, tome seu ônibus de costume e vá para casa, afinal você merece. Porém preste muita atenção, após você acionar a campainha e ir para a porta desembarcar, uma senhora muito especial também tentará descer na mesma parada. Ela decerto é amiga da Glória Kalil(é assim que se escreve?) e ela deve estar passando por um momento difícil, ela talvez tenha ficado pobre. Não atormente ainda mais essa situação para a coitada, ela vai perguntar se você descerá realmente, ela pensa que as pessoas tocam a merda da campainha e ficam na porra da porta só pra incomodar os outros. Dê passagem imediatamente e peça desculpas por você existir”.

Saí da frente da mulher, que começou a me xingar e me chamar de drogado, eu disse a ela que o ornitorrinco da Nova Caledônia do Norte também me alertou sobre sua irritação, mas que eu compreendesse essa infeliz situação.

A porta abriu e a mulher desceu bufando. Como tem gente ingrata no mundo.

Anúncios

3 comentários sobre “Ir pra casa também causa mal-entendidos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s